Produtor de Narcos, da Netflix, é morto a tiros no México

O assistente de produção Carlos Muñoz foi encontrado em área violenta, onde buscava locações O cineasta de 37...

74 0

O assistente de produção Carlos Muñoz foi encontrado em área violenta, onde buscava locações

O cineasta de 37 anos havia sido contratado pela produtora Redrum, responsável pela série da Netflix, e buscava locações no interior do país

O assistente de produção de Narcos, Carlos Muñoz, foi encontrado morto na área rural do Estado do México. O cineasta de 37 anos havia sido contratado pela produtora Redrum, responsável pela série da Netflix, e buscava locações no interior do país. As circunstâncias da morte ainda não foram esclarecidas.

Segundo informações do jornal El País, Muñoz viajava por uma área rural despovoada para fotografar locações para a produtora. Ele foi encontrado morto dentro de um carro, na segunda-feira (11), com várias marcas de tiros, em uma área considerada violenta. As autoridades mexicanas suspeitam que o gerente de locações pode ter sofrido uma perseguição. “Sabemos do falecimento de Carlos Muñoz Portal, um respeitado gerente de locações, e oferecemos nossas condolências a seus familiares. Os fatos ainda são desconhecidos, já que as autoridades continuam investigando os fatos”, informou a Netflix através de um comunicado ao El País.

A série de sucesso explora a temática do narcotráfico na América e teve a participação do brasileiro Wagner Moura no elenco, no papel de Pablo Escobar, o criador do cartel de Medellín. A produção-executiva de José Padilha (Tropa de elite e Robocop) e Eric Newman (Filhos da esperança), a terceira leva de Narcos chegou ao serviço de streaming no início de setembro. Os novos episódios apresentam o modus operandi do Cartel de Cali e está focado na história dos quatro grandes administradores da organização criminosa.

Neste artigo

Participe da conversa