Um “pepino” na mão da Corregedoria.

A Polícia Militar exonerou, nesta sexta-feira, a comandante do 3º Comando de Policiamento de Área (CPA), coronel Cláudia Lovain. Ela era responsável...

32 0

A Polícia Militar exonerou, nesta sexta-feira, a comandante do 3º Comando de Policiamento de Área (CPA), coronel Cláudia Lovain. Ela era responsável pelos seis batalhões na Baixada Fluminense. A decisão foi tomada após dois PMs serem presos acusados de corrupção. No mês passado, o comando-geral da corporação já havia exonerado o comandante do 20º BPM (Mesquista), o tenente-coronel Marcelo Moreira Malheiros — subordinado à coronel Lovain —, por suspeitas de que policiais estavam envolvidos com o jogo do bicho na região.

A prisão dos dois policiais militares que levaram à exoneração da coronel Lovain aconteceu na tarde desta sexta-feira, após investigação da 3ª DPJM (Delegacia de Polícia Judiciária Militar). Um deles, lotado no 3º CPA (Comando de Policiamento de Área), foi preso em flagrante de posse de envelopes contendo dinheiro em espécie nas dependências da unidade onde está lotado, que fica instalada no quartel do 20° BPM (Mesquita). O outro, lotado no 20º BPM, foi preso administrativamente.

Os investigadores da 3ª DPJM fizeram vídeo mostrando os dois policiais saindo de um prédio comercial. Ambos embarcaram num carro, dirigido por um deles, e seguiram em direção ao quartel do 20º BPM. Os policiais presos foram ouvidos na 3ª DPJM, em Nova Iguaçu. Em seguida, o policial preso em flagrante foi encaminhado para a Unidade Prisional da PM, em Niterói. O outro, preso administrativamente, ficará detido na unidade onde está lotado.

EXTRA

Agora vamos aos fatos: Em setembro o Comandante do 20º BPM foi exonerado sob acusação de não combater o jogo do bicho, mas a Comissão de Segurança Pública da 24ª Sub Seção da OAB de Nilópolis e o Conselho Comunitário de Segurança de Nova Iguaçu defenderam o Coronel. Ora, o 20º BPM tem uma área enorme, sendo humanamente impossível, com as deficiências da PMERJ, coibir todos os ilícitos em sua área. Será que o Comandante na verdade não foi exonerado por não estar deixando o jogo do bicho em paz? Com este fato que afastou a Comandante do 3º CPA muita coisa pode ser esclarecida. Com efetivo pequeno, deficiências logísticas, um Comandante tem que estabelecer prioridades e a Corregedoria achar 18 pontos do bicho em sua área é admissível, já que próximo ao QG PMERJ o jogo do bicho deita e rola.

O Presidente e o Delegado da Comissão de Segurança Publica emitiram uma nota, que diz o seguinte: o indiciamento foi feito “de forma estranha e equivocada, principalmente pelas estatísticas inéditas de redução de criminalidade na Baixada Fluminense, não comportando lógica a grave imputação do suposto descumprimento de ordem”.

No texto, o presidente e o delegado da comissão, Marcos Antônio Conceição dos Santos e Bruno Alves, afirmam, sobre o indiciamento, que “há elementos que causam, no mínimo, estranheza”. De acordo com Marcos Antônio, “o 20° BPM tem realizado um ótimo trabalho na redução da criminalidade na Baixada Fluminense, apresentado índices em queda inéditos na região, que ainda que fosse verídico o fato imputado, não se pode atribuir a responsabilidade ao Comandante pelo simples fato da existência de cometimento de crime próximo ao batalhão, posto que, é humanamente impossível prever a localização do crime”.

Segundo Alves, o comandante do batalhão estava de férias quando foi notificado pela Corregedoria e, por isso, não teve conhecimento da notificação.

Já o presidente do Conselho Comunitário de Segurança de Nova Iguaçu, Adriano Luiz Marciano de Lima, afirmou que o indiciamento foi “uma medida independente e sem consulta superior, mostrando certo descontrole do comando sobre quem cuida de seus ‘assuntos internos’”.

O flagrante foi feito sobre quem estava com o dinheiro, ou seja, o “bucha”! Normalmente é o “bucha que trabalha e serve ao malandro. Mas o dia em que o “bucha deixar de ser otário, a casa do ladrão de estrelas cai…. Simples assim! (Major PMERJ Freitas)

A Sargento foi presa e enviada o BEP, a Coronel foi afastada e posta na “geladeira”. Já que existem envelopes com as quantias e nomes destinados, que a Corregedoria colha informações com a Sargento para punir os demais envolvidos.

Veja Também

Neste artigo

Participe da conversa