TRÊS LAGOAS

POLÍCIA

CRIMINALIDADE: Uber cai em corrida falsa e é roubado no Estrela Park

Publicados

POLÍCIA

Ele teve uma arma apontada para a cabeça e ainda sofreu uma gravata de bandidos.

Ramiro Rodrigues, de 33 anos, viveu momentos de terror na noite de ontem (20) em Campo Grande. Ele trabalha como motorista de aplicativos e teve o veículo roubado em uma falsa corrida.

Conforme informações policiais, Ramiro estava rodando pelo Uber quando recebeu um chamado por volta das 20h15 na Rua Joaquim Manoel de Souza, feito por uma usuária de nome ‘Vanessa’. Porém, no local, quatro homens adentraram no veículo para a corrida.

Durante o trajeto, já na avenida João Garcia Carvalho Filho, no residencial Estrela Park, o quarteto anunciou o assalto. Um deles colocou a arma na cabeça de Ramiro e outro deu uma gravata.

Pouco depois, em um momento de descuido dos assaltantes, Ramiro conseguiu se desvencilhar dos bandidos e fugir a pé. Acabou pedindo socorro na casa de um conhecido, e depois se dirigindo para a Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário do centro de Campo Grande, onde registrou o ocorrido.

Leia Também:  Tropa de choque da PMMS chega a Dourados para atuar em possíveis distúrbios causados por manifestações

Ramiro ainda afirmou não saber identificar nenhum dos bandidos, já que todos estavam de máscara.

 

CREDITO: TOPMIDIA

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍCIA

VIOLÊNCIA CONTRA A CRIANÇA: Pedreiro é investigado pelo estupro de sobrinha de 10 anos

Publicados

em

Criança apresentava comportamento estranho, que foi percebido pela avó paterna.

Pedreiro de 45 anos é suspeito de estuprar a sobrinha de setembro de 2015 a fevereiro de 2016, em Aquidauana. A vítima tinha 10 anos quando os abusos começaram.

Segundo o inquérito policial, a vítima se mudou com seus pais para a casa da avó materna, mãe do denunciado, que também morava no mesmo local.

Quando estava sozinha na casa, fazendo seu irmão de 4 anos dormir, ou os pais estavam trabalhando e a avó estava nos fundos da residência, o denunciado se aproveitava para tocar a criança.

Não houve conjugação carnal, pois toda vez que estava prestes a ir além, a vítima dizia que iria gritar. No entanto, ela só conseguiu denunciar quando se mudou da casa dele, pois tinha medo.

Conforme narrado pela avó paterna da vítima, durante o período em que os abusos ocorreram, ela apresentava comportamento estranho, que foi piorando com o tempo até que, após muito insistir, a vítima acabou confidenciando-lhe os abusos.

Leia Também:  Tropa de choque da PMMS chega a Dourados para atuar em possíveis distúrbios causados por manifestações

O processo está em andamento. A defesa ainda vai apresentar resposta à acusação.

 

CREDITO: TOPMIDIANEWS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

TRÊS LAGOAS MS

MATO GROSSO DO SUL

POLÍCIA

ENTRETENIMENTO

MAIS LIDAS DA SEMANA